Sistemas gratuitos para RPGistas curiosos

Eu sou um entusiasta de boas histórias e, ultimamente, tenho me deparado com a necessidade de contar algumas delas. Que maneira mais interessante de manter viva essa vontade de contar histórias do que numa mesa – mesmo que virtual – de RPG? Por isso, tenho reunido alguns excelentes jogos gratuitos ao redor da Internet e colocado tudo em uma pastinha no dropbox. Quer ver?

Eis um pouco do que você vai encontrar lá dentro:

Continuar lendo

Anúncios

Em um vlog de ciências, não se pode perder o assombro: esse é vSauce


Quando você vai falar sobre ciências, tudo fica mais interessante quando se atiça nossa curiosidade. vSauce é um excelente exemplo disso. Quem me segue em redes sociais, já conhece, mas é sempre legal divulgar esse tipo de trabalho. É um vale tudo: de física e química de escola até “O que aconteceria se a terra fosse oca?“.

Nesse episódio que coloquei aqui, Michael – nosso apresentador maravilha – nos conta que a cor que estamos vendo em nossos monitores – amarelo – simplesmente não existe. Pelo menos, não do modo natural – onde a luz reflete determinada cor em detrimento de outras cores. Isso acontece pois os nossos monitores de LCD – e qualquer monitor mesmo – usa o RGB (red, green, blue / vermelho, verde e azul) para compor todas as cores que são dirigidas para nossos olhos. Na verdade, são faixas dessas cores lado-a-lado, e nosso cérebro tem uma propriedade interessante: ele interpreta cores quando não consegue entendê-las.

Vale a inscrição. E, pelo menos, o episódio fantástico sobre bocejo.

[O que acharam da nova cara do Virtualidade Latente? Deixe sua opinião abaixo!]

É um filho bastardo e genial: Gone with the blastwave

– Certo, na verdade eu espero que dois ou três caras sobrevivam esse mês;
– Cale a boca e proteja-se.

Esta é Gone with the blastwave.

Eu descobri essa história em quadrinhos (ou webcomic, se preferir esse termo) faz um ano e meio, mais ou menos. Acabei lendo ela toda de uma vez só – um feito até comum pra mim, quando o material não é tão extenso. Descobri ao procurar conteúdo extra para um jogo chamado Cortex Command, e achei os bonecos simpáticos. No entanto, até hoje me parece uma obra fantástica. É engraçado, então, que ela tenha sido completamente abandonada pelo seu criador, o finlandês Kimmo Lemetti.

A história é genérica – mundo pós-apocalíptico dominado pela guerra – os personagens são humoristicamente planos – dois psicopatas que se odeiam, basicamente – e a história acaba nunca chegando à lugar algum. E mesmo assim, é como se o autor conseguisse criar uma paródia extremamente envolvente, ácida e cheia de pequenas reflexões sobre a futilidade humana sem realmente se esforçar.

Seu blog não é atualizado desde junho do ano passado. O quadrinho? Às vezes é mensal, outras bimestral e por aí vai. Lemmeti é um artista de mão cheia e, apesar de sua auto-proclamada dificuldade em desenhar fisionomias, demonstra uma capacidade sobre-humana de contar piada à partir da desgraça. E, apesar desse abandono e reclusão, ainda considera terminar a história até 2015. Parece estranho, mas acredito que ele vai concluir esse trabalho até lá.

Gone with the blastwave é como o punk rock se sente quando você começa a perguntar à seus criadores. Ninguém admite tal feito hoje em dia, virou um filho bastardo, uma vergonha bater no peito e falar “eis a minha criação”. E, se tratando de um humor tão obscuro, imagino que seja melhor assim mesmo. Certas criações devem ser renegadas para florecer.

[O blog Virtualidade Latente pode até parecer que está na mesma vibe do Gone with the blastwave, mas a verdade é que planejo muitos posts ainda por vir, só está me faltando tempo e motivação; Não quer dizer que eu vá abandoná-los por meses à fio, mas certa paciência é necessária]

Ouça todo o terror de Lovecraft em audiolivros nacionais (grátis)

Howard Phillip Lovecraft foi um escritor particularmente prolífico no início do século XX, que morreu cedo e deixou órfãos uma quantidade imensa de amantes da literatura de terror. No entanto, sua obra marcou para sempre os gêneros do terror e da ficção-científica, apesar do reconhecimento ter sido póstumo.

Nos últimos meses, sabe-se lá por quê, uma série de ótimos podcasts acabaram chegando à meus ouvidos sobre o escritor e sua obra. De fato, os mais interessantes foram o apresentado pelo Marcelo Dior, no Vozes da Terceira Terra, e o papo mais descontraído do Jovem Nerd – que eu considero já conhecido por todos.

Além disso, na tentativa de encontrar uma imagem para ilustrar esse post, acabei tropeçando em uma história em quadrinhos gratuita baseada em um conto de Lovecraft, que eu não sei se é boa mas pode valer à pena – e de graça, até injeção.

Por fim, o link que estou enrolado pra dar, cortesia do sitelovecraft.com (que vai lançar um livro de contos selecionados) e de Lauriston Trindade, contos do autor em formato de áudio, pros que preferem parecer descolados no metrô fingindo que ouvem música quando na verdade estão lentamente enlouquecendo.

Cthulhu f’taghn, lembrem-se bem!

Godmode: Um podcast hilário e nacional (finalmente!)


Eu não costumo postar dicas de podcasts nacionais, principalmente porque ouço poucos mesmo. Mas sempre tem aquele que é especialmente incrível em qualidade e desenvoltura. No Godmode, a regra é aquela conversa legal entre amigos, onde você fala sobre jogos e conta histórias da sua jogatina. Cada integrante (são seis residentes, fora possíveis convidados) tem seus próprios gostos e, muitas vezes, discordam bastante, o que é tanto divertido – pois os caras ficam tirando sarro um do outro – quanto informativo, do ponto de vista de várias opiniões diferentes sobre o mesmo assunto.

Aliás, os caras são do Rio, o que é mais um indicativo de que a cidade produz bons podecasters (além das estrelinhas da podosfera, o Matando Robôs Gigantes e o Nerdcast). Só uma dica: não é indicado à pessoas especialmente sensíveis à linguagem chula – não é o meu caso, mas existe gente que não curte.

[Curiosidade interessante: a galera toda trabalha como desenhistas e trabalharam no desenho animado do Sítio do pica-pau amarelo]

[Via Terceira Terra]

ContinueCast: Análises elaboradas de jogos clássicos

Para quem curte ouvir uma galera bem humorada falar sobre retro games, fica a dica do excelente ContinueCast. Todo o episódio, os três âncoras do magnífico programa “Continue?” analisam um jogo clássico do Super Nintendo, Mega Drive e do Nintendinho, contando com a participação de seus ouvintes.

Eu me divirto muito com o estilo dos caras, e o programa deles tem momentos épicos demais. Vale inscrição.

Seja o aventureiro-capitão em Epicsplosion

desenho de Tauhid Bondia, todos os direitos reservados

http://www.epicsplosion.com

Esse é um ótimo quadrinho que pega emprestado a linguagem dos “Escolha sua aventura” para contar muitas histórias, dependendo de suas escolhas. Grande parte dessas escolhas levam à situações muito excêntricas e cômicas, mas sem muito objetivo. No final, vale o experimento pela jornada e não pelo destino.

E, se você se interessa por esse tipo de coisa, o criador do site criou uma bela ferramenta de histórias colaborativas na web, a Epicsploitation, onde VOCÊ pode contribuir com histórias de outras pessoas e vice-versa. É como um daqueles jogos de contar histórias em acampamento, só que anônimo e em escala global. Isso significa que, automaticamente, está cheio de trolls.

Mas existem outras experiências do tipo por aí.