Tentando entender o japão em Tune in tokyo: the gaijin diaries

Cultura é um negócio engraçado. A gente sempre acha que a nossa cultura faz mais sentido do que as outras, quando a verdade é que somos todos fruto de nosso tempo e espaço. Foi um grande prazer, pra mim, ouvir o audiobook Tune in Tokyode Tim Anderson e narrado por MacLeod Andrews – que tem uma pronúncia perfeita do japonês, o que é animador.

Organizado em pequenas crônicas, a história é auto-biográfica. Parece que o autor tentou manter-se o menos glorificado possível, às vezes até exagerando um pouco, o que gerou algumas passagens mais cômicas do que a situação real deve ter sido. Tim estava estagnado em determinado momento da vida, com um emprego que ele odiava e nenhum rumo certo. É aí que surge a oportunidade de ir para o Japão dar aulas de inglês, mesmo sem saber uma só palavra da língua nipônica.

No Japão, Tim passa por diversos causos nos dois anos que passou na terra do sol nascente. Desde o problema de sua sexualidade acabar reprimida em meio à um povo tão difícil de sondar como o japonês, até a  formação de uma banda de rock experimental. As histórias de Tim são recheadas de sarcasmo e situações que variam do dia-a-dia até viagens filosóficas sobre a natureza da cultura japonesa.

Além disso, a voz de MacLeod Andrews encaixa como uma luva no nosso herói moderno, com uma fala clara e a já mencionada boa dicção do japonês quando foi preciso mencionar nomes de lugares. MacLeod passa a tristeza e a emoção do texto de forma muito sincera, e seu talento é impressionante.

Infelizmente, como todas as minhas leitura últimamente, só está disponível em inglês. Mas se você não curtir livros em audio, pode comprar em letrinhas impressas ou virtuais.

[Peço perdão ao Alexandre Costa por roubar a coluna dele sem pedir, mas esse livro caiu como uma luva pra ela]

Escritor publica livro capítulo à capítulo em podcast

http://kgainor.squarespace.com/podcasts/

Apesar de ser em inglês (prometo que vou tentar trazer mais coisa em português), o romance de ficção científica do jovem autor K. Gainor, Paladin Corps, terminou à pouco tempo de publicar todo o primeiro livro lido diretamente por ele em um podcast semanal.

Esse modelo de publicação chegou à ser comentado no podcast “I should be writing“, de Murr Laferty. Murr é uma das editoras do Escape Pod que mencionei uma semana ou duas atrás.

Espero que gostem. Assim que eu terminar posto uma resenha crítica da história.